Ciência e Tecnologia

O tempo da ciência e da tecnologia

Até o final da década de 70, o colégio dispunha de poucos recursos voltados para a prática científica, reduzidos às aulas convencionais e ao auxílio de um pequeno laboratório de acesso restrito. A formação humanística que o Colégio Dom Bosco desenvolve com maior intensidade nos últimos 30 anos, a preocupação com a educação integral imprimem uma marca diferenciada à sua proposta de educar/instruir, ao prever uma pedagogia de projetos a qual insere o aluno na prática cotidiana da pesquisa, da resolução de problemas e no universo das novas tecnologias voltadas para a aprendizagem. Em seu projeto pedagógico, este educandário destaca, com afinco, a área de ciência e tecnologia, conferindo qualidade ao seu ensino.

Nesses 30 anos, faz-se visível a transformação a que a escola submeteu-se, no aspecto científico e tecnológico. O estudo científico, no colégio Dom Bosco, não se resume à prática livresca ou ao treinamento do aluno prevendo um concurso vestibular. O que se busca, de fato, é a consolidação de uma cultura de cientificidade baseada na convicção de que ciência e tecnologia são fundamentais para o crescimento humano, para a nação alcançar seu desenvolvimento auto-sustentável, autonomia e soberania.
O trabalho vem sendo realizado, há alguns anos, compreendendo o conjunto de disciplinas ditas científicas, extrapola os limites da sala de aula, abandonando a exposição simples nos moldes tradicionais. O Colégio Dom Bosco evoluiu com um alunado que aprende ciências pelo caminho da pesquisa, parte intrínseca do processo educativo. Objetiva-se, com essa ênfase, a prática de uma educação emancipatória, destinada a formar sujeitos participativos, preparados, críticos e criativos. A escola se sente na obrigação de formar jovens com a necessária qualificação para os desafios impostos por uma nova sociedade.
Como demonstração e firmeza de propósitos de uma escola que leva o ensino a sério, o Colégio Dom Bosco preocupou-se com a instalação de laboratórios dotados de infra-estrutura para promover as práticas necessárias que apóiam o trabalho da sala de aula. Esses espaços, devidamente equipados, estimulam e aprimoram a aprendizagem, possibilitando ao aluno o conhecimento e a prática das diversas técnicas que evidenciam os fenômenos científicos. Trata-se de espaços privilegiados onde o aluno sempre aprende porque faz, desde as séries iniciais, sob a orientação de professores capacitados para essas experiências.
A partir do início dos anos 90, a escola, mais do que nunca, engaja-se no compromisso de formar sujeitos capazes de, incessantemente, confrontar-se com a realidade e intervirem como agentes inovadores. Para contribuir com formação do aluno pensante, inteligente e criativo, o Colégio Dom Bosco renovou-se, integrando-se aos avanços tecnológicos, colocando a informática como mais um canal no processo ensino-aprendizagem.
A introdução da informática no projeto pedagógico do Colégio Dom Bosco é ampla. Não se trata de economia teórica, metodológica, instrumental. Trata-se, sim, sobretudo, do desenvolvimento de uma nova mentalidade, de um processo de descobertas criativas, da instauração do aqui-sempre-lá. Da pré-escola ao Ensino Médio, em todas as disciplinas, do puramente técnico ao simplesmente lúdico, a aquisição de laboratórios de informática confirma a posição do Colégio Dom Bosco, de escola equipada para a preparação das novas gerações. Seguindo o exemplo das grandes escolas brasileiras, o Colégio Dom Bosco, introduziu, desde o início de 1995, a informática em seus quadros curriculares È essa a realidade que o Colégio Dom Bosco continua a construir, na certeza de que a produção do saber, nestes 84 anos, exige ação, informação e, sobretudo, muita qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *