Patrono

Dom Bosco

Razão, religião e bondade

 

Giovanni Melchior Bosco nasceu em 16 de agosto de 1815 em Becchi, perto de Turim, norte da Itália. Ficou órfão de pai aos 2 anos de idade. Margarida, sua mãe, ensinou-lhe a ver Deus em tudo, principalmente no rosto dos mais pobres. A partir dos nove anos, sentiu o chamado de Deus para cumprir a sua vocação-missão, mas, só quando completou os 16, ele começou seus estudos para o sacerdócio, recebendo a ordenação em cinco de junho de 1841, em meio à Revolução Industrial, quando já estava com 25 anos. Por influência de São José Cafasso, iniciou a sua obra educando jovens abandonados da cidade de Turim e fundou o Oratório junto com Bartolomeu Garelli, sob a proteção de São Francisco de Sales, o qual, em alguns meses, já tinha oitenta jovens. Em 1847, Dom Bosco sentiu necessidade de recolher os meninos em internatos-escola. Em 1853, fundou as escolas profissionais com oficinas de alfaiate, encadernação, marcenaria, tipografia e mecânica, respostas às necessidades da época. O internato do Oratório de Valdocco cresceu. Em 1861, eram 800 meninos. Em 1859, Dom Bosco reuniu o primeiro grupo de jovens educadores no Oratório. Esse grupo deu origem à Congregação Salesiana. Dom Bosco, santo de ações rápidas, não esperava pelo amanhã, começava logo. Nos anos seguintes, Dom Bosco fundou e organizou a Congregação Salesiana, o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e os Cooperadores Salesianos. Construiu, em Turim, a Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora e fundou 59 casas salesianas em seis países. Abriu as missões na América Latina. Publicou as Leituras Católicas para o povo mais simples. Sobretudo, viveu o modo evangélico de educar por meio da Razão, Religião e Bondade, trinômio que passou à história como referencial pedagógico denominado Sistema Preventivo. A alguém que lhe lembrou tudo o que fez, respondeu: “Eu não fiz nada. Foi Nossa Senhora quem tudo fez”. Morreu em 31 de janeiro de 1888, deixando esta recomendação: “Amem-se como irmãos. Façam o bem a todos e o mal a ninguém. Digam a meus jovens que os espero no paraíso”. Foi beatificado em 1929 e canonizado por Pio XI em 1º de abril de 1934, tendo como 31 de janeiro o dia das festividades de São João Bosco. Quando da morte de Dom Bosco, existiam 14 escolas profissionais espalhadas pela Itália, França, Espanha e Argentina. Chegaram a 200 em todo o mundo. Em 1988, o centenário da morte de São João Bosco foi comemorado pela família salesiana, em reconhecimento à sua obra para o bem da humanidade. Na ocasião, João Paulo II declarou-o e proclamou-o Pai e Mestre da Juventude, determinando que “ele fosse honrado e invocado com este título, especialmente por quantos se reconhecem como seus filhos espirituais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *